quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

UM SONHO REALIZADO


No dia 08 de novembro, foi inaugurado na praça de convivência, o Quiosque Trilhas na Caatinga e Picui Minha Terra, nesta oportunidade o idealizador deste projeto, o Senhor Edson Calado, conseguiu mais um de seus objetivos, o de divulgar e rescatar a nossa história através de fotos antigas, e de presevar os nossos sitios arqueologicos, o quiosque teve uma grande aprovação pela a população e visitantes que estiveram nestes dias no VIII Festival da Carne de Sol, este era um grande sonho do Senhor Edson Calado, que com ajuda de amigos vem implantando o Turismo de Aventuras em nossa cidade, com caminhadas ecológica, trilhas de regularidade de carros e motos, e em breve estará realizando o 1º Enduro a Pé de Picui.

2 comentários:

Carlos disse...

Caro Edson,
Meu nome é Carlos e moro em Jacobina, interior da Bahia e preciso de uma informaçao.

Gostaria de saber se existe uma mineração de granito no municipio de Picui, localizada nas seguintes coordenadas: LATITUDE=-6.631449 e LONGITUDE=-36,246590.

Esta mineração produziu granito para ser usado como rocha ornamental. Caso voce conheça esta mineraçao, saberia me dizer o nome comercial da rocha produzina neste local??

Sou antecipadamente grato

Carlos Barbosa

maravilhas da natureza .com.br disse...

muito bacana essas caminhadas ecologicas que voces fizeram. sou amante da natureza temos que defender e proteger as nossas arvores .fuiiiiiiiiiiiiiiii

1ª CAMINHADA ECOLOGICA DE PICUI - 2009

1ª CAMINHADA ECOLOGICA DE PICUI

1ª CAMINHADA ECOLOGICA DE PICUI

1ª CAMINHADA ECOLOGICA DE PICUI

GAIOLA DE ALEX

PASSEIO DE GURGEL EM PICUI

CACHOEIRA DO PEDRO

CASA DE MARIBONDO CABOCLO

CASA DE MARIBONDO CABOCLO

NINHO DE BEM-TI-VI

NINHO DE BEM-TI-VI

UMBUZEIRO

UMBUZEIRO
Planta tipica da nossa região

Bandeira do municipio

Bandeira do municipio

Nossa história - Cidade de Picuí - PB

As primeiras incursões para colonização de Picuí ocorreram entre 1704 e 1706, quando o Presidente da Província da Paraíba era Fernando Barros Vasconcelos. No dia 26 de dezembro de 1704, Dona Isabel da Câmara, Capitão Antônio de Mendonça Machado, Alferes Pedro de Mendonça Vasconcelos e Antônio Machado requereram, e obtiveram por sesmaria, três léguas de terra (18 km) no riacho chamado PUCUHY. Posteriormente, no inicio do século XIX, outras famílias que vinham dos estados vizinhos requereram e obtiveram sesmarias nesta região, onde implantaram propriedades e algumas fazendas de gado, entre elas estavam Conde D'Ávila, Joaquim José da Costa, Capitão Antônio de Mendonça Machado, Lázaro José Estrela, João Ferreira de Farias, Maximiano José da Costa, Antônio Ferreira de Macedo, Estevão José da Rocha e Vicente Ferreira de Macedo. No local onde hoje encontra-se a igreja matriz, ficava o curral de gado da fazenda de Lázaro José Estrela. Ele havia cavado uma cacimba na confluência dos rios das Várzeas e do Pedro e, nos períodos de estiagem, abastecia os moradores das adjacências. Essa cacimba era bastante freqüentada por uma espécie de pomba, conhecida como Pucuhy, que, em suas águas, saciavam a sede. Por esta razão, o local passou a ser chamado de Pucuhy. Posteriormente o nome foi mudado para Picuhy - uma palavra composta, unindo Pico (da serra Malacacheta) ao hipsilon (Y), forma da confluência dos dois rios. Na nova ortografia, o nome passou a ser escrito Picuí. As explorações daí decorrentes, ao que parece, tiveram como saldo apenas a implantação de algumas fazendas de gado. Entre 1750 e 1760, novas correntes de povoamento se registraram com a aquisição de algumas propriedades, que tinham sido instaladas pelos primitivos. O povoamento inicial da região ocorreu onde hoje se encontra o município de Pedra Lavrada, tendo sido construída a primeira capela em 1760. No ano de 1856, o Nordeste brasileiro foi cenário de uma terrível epidemia de cólera-morbo, que matou milhares de pessoas. Portanto, os moradores da região, assustados com a mortandade e liderados pelo Coronel José Ferreira de Macedo, decidiram recorrer ao Mártir São Sebastião e juntos fizeram uma promessa ao santo. Após constatarem que não havia mais o surto da doença, começaram a construir a capela de São Sebastião, hoje elevada à matriz de São Sebastião, padroeiro da cidade – origem de sua história. Paralelamente à construção da capela, o Coronel construiu a primeira casa do povoado, conhecida como "A Venda Grande". Ele ocupou o cargo de fiscal e, com o seu prestígio, conseguiu trazer para o aglomerado o primeiro mestre-escola, o primeiro costureiro de roupas masculinas e o primeiro mestre de música. Dizem até que foi ele quem sugeriu o acréscimo de Triunfo ao nome de São Sebastião. Por isso, o Coronel José Ferreira de Macedo é considerado o autêntico fundador de Picuí. No dia 3 de setembro de 1857, o Padre Francisco de Holanda Chacon, de Areia, celebrou a primeira missa e, em volta da capela, surgiu o povoado de São Sebastião do Triunfo.Em 1874, através da Lei Provincial nº 597 de 26 de novembro, foi criado o Distrito de Paz da Povoação de São Sebastião do Triunfo. O distrito passou a chamar-se apenas de Triunfo. Mas, em 1888, quando a povoação foi elevada à categoria de vila pela Lei Provincial nº 876 de 27 de novembro, o nome passou a ser Picuhy. O município de Picuí foi criado pelo Decreto nº 323 de 27 de janeiro de 1902, sendo instalado no dia 9 de março, a Lei Estadual nº 212 de 29 de outubro de 1904 mudou a sede do município de Cuité para Picuí. No ano de 1924, em 18 de março, Picuí passou ao posto de cidade através da Lei Estadual nº 599. Ao longo do século XX diversos municípios se desmembraram de Picuí, a exemplo de Cuité/Barra de Santa Rosa (1936), Nova Floresta (1959), Pedra Lavrada (1959), Cubatí (1959) Frei Martinho (1961) e Baraúna (1996).
Fonte: Pesquisa: Município de Picuí - Esboço Histórico de Abílio César; Leis - Por Tayana Macedo